RESENHA: UMA AMOR INCÔMODO - ELENA FERRANTE

05/08/2018


Ficha Técnica

Título: Um amor incômodo
Autora: Elena Ferrante
Editora: Intrínseca
Ano da edição: 2017
Número de páginas: 176


Compre o livro na Amazon 







Sinopse: Aos quarenta e cinco anos, Delia retorna a sua cidade natal, Nápoles, na Itália, para enterrar a mãe, Amalia, encontrada morta numa praia em circunstâncias suspeitas: a humilde costureira, que se acostumou a esconder a beleza com peças simples e sem graça, usava nada além de um sutiã caro no momento da morte. 
Revelações perturbadoras a respeito dos últimos dias de Amalia impelem Delia a descobrir a verdade por trás do trágico acontecimento. Avançando pelas ruas caóticas e sufocantes de sua infância, a filha vai confrontar os três homens que figuraram de forma proeminente no passado de sua mãe: o irmão irascível de Amalia, conhecido por lançar insultos indistintamente a conhecidos e estranhos; o ex-marido, pai de Delia, um pintor medíocre que não se importava em desrespeitar a esposa em público; e Caserta, uma figura sombria e lasciva, cujo casamento nunca o impediu de cortejar outras mulheres. 

Na mistura desorientadora de fantasia e realidade suscitada pelas emoções que vêm à tona dessa investigação, Delia se vê obrigada a reviver um passado cuja crueza ganha contornos vívidos na prosa elegante de Elena Ferrante.




Oi, gente!

A convite da Karina, vou falar um pouquinho para vocês sobre o livro Um amor incômodo, da Elena Ferrante. Foi minha primeira experiência com a escrita da autora e gostei bastante! Ela escreve de uma forma direta, crua e nos envolve com a história. Quando comecei a ler imaginei que seria um daqueles livros que falam sobre conflitos entre mãe e filha, mas não, é mais que isso.

Sabe aquele livro que enquanto vamos lendo, vamos tendo epifanias? É esse!

Tentando descobrir o que de fato ocorreu na morte da mãe (assassinato ou suicídio?), Délia volta a cidade em que viveu sua infância e, mais que isso, volta a memórias “esquecidas”, o que a leva a ver a mãe por outros olhos e, principalmente, se vê obrigada a questionar muitos atos seus. Parece que nesse livro tudo é incômodo: a cidade, a relação com a mãe, a relação com o pai, suas lembranças, a própria Délia...

Em muitos momentos me senti como a personagem, talvez por ser uma mulher comum em busca de respostas, não sei... O fato é que Um amor incômodo é uma daquelas histórias que a gente não consegue largar até saber o final, que a gente sofre e se angustia junto com a personagem, algumas vezes nos identificamos, outras, sentimos vontade de entrar no livro e pedir que ela “acorde”.

É uma trama de mistério, forte, eu diria até pesada, mas envolvente, que nos tira da zona de conforto e faz devorar cada palavra até o ponto final.

Esse  foi o romance de estréia da autora, que nos apresentou uma narrativa rápida e dinâmica, com capítulos curtos e que não poupa o leitor (a autora não é nada amorzinho, rsrsrs), outra coisa que me chamou a atenção foram as frases impactantes no fim de cada capítulo.

Leitura mais que recomendada!







0 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário