RESENHA: UMA AMOR INCÔMODO - ELENA FERRANTE

05/08/2018


Ficha Técnica

Título: Um amor incômodo
Autora: Elena Ferrante
Editora: Intrínseca
Ano da edição: 2017
Número de páginas: 176


Compre o livro na Amazon 







Sinopse: Aos quarenta e cinco anos, Delia retorna a sua cidade natal, Nápoles, na Itália, para enterrar a mãe, Amalia, encontrada morta numa praia em circunstâncias suspeitas: a humilde costureira, que se acostumou a esconder a beleza com peças simples e sem graça, usava nada além de um sutiã caro no momento da morte. 
Revelações perturbadoras a respeito dos últimos dias de Amalia impelem Delia a descobrir a verdade por trás do trágico acontecimento. Avançando pelas ruas caóticas e sufocantes de sua infância, a filha vai confrontar os três homens que figuraram de forma proeminente no passado de sua mãe: o irmão irascível de Amalia, conhecido por lançar insultos indistintamente a conhecidos e estranhos; o ex-marido, pai de Delia, um pintor medíocre que não se importava em desrespeitar a esposa em público; e Caserta, uma figura sombria e lasciva, cujo casamento nunca o impediu de cortejar outras mulheres. 

Na mistura desorientadora de fantasia e realidade suscitada pelas emoções que vêm à tona dessa investigação, Delia se vê obrigada a reviver um passado cuja crueza ganha contornos vívidos na prosa elegante de Elena Ferrante.




Oi, gente!

A convite da Karina, vou falar um pouquinho para vocês sobre o livro Um amor incômodo, da Elena Ferrante. Foi minha primeira experiência com a escrita da autora e gostei bastante! Ela escreve de uma forma direta, crua e nos envolve com a história. Quando comecei a ler imaginei que seria um daqueles livros que falam sobre conflitos entre mãe e filha, mas não, é mais que isso.

Sabe aquele livro que enquanto vamos lendo, vamos tendo epifanias? É esse!

Tentando descobrir o que de fato ocorreu na morte da mãe (assassinato ou suicídio?), Délia volta a cidade em que viveu sua infância e, mais que isso, volta a memórias “esquecidas”, o que a leva a ver a mãe por outros olhos e, principalmente, se vê obrigada a questionar muitos atos seus. Parece que nesse livro tudo é incômodo: a cidade, a relação com a mãe, a relação com o pai, suas lembranças, a própria Délia...

Em muitos momentos me senti como a personagem, talvez por ser uma mulher comum em busca de respostas, não sei... O fato é que Um amor incômodo é uma daquelas histórias que a gente não consegue largar até saber o final, que a gente sofre e se angustia junto com a personagem, algumas vezes nos identificamos, outras, sentimos vontade de entrar no livro e pedir que ela “acorde”.

É uma trama de mistério, forte, eu diria até pesada, mas envolvente, que nos tira da zona de conforto e faz devorar cada palavra até o ponto final.

Esse  foi o romance de estréia da autora, que nos apresentou uma narrativa rápida e dinâmica, com capítulos curtos e que não poupa o leitor (a autora não é nada amorzinho, rsrsrs), outra coisa que me chamou a atenção foram as frases impactantes no fim de cada capítulo.

Leitura mais que recomendada!







Uma pisciana que vive navegando pelos mares da literatura, do cinema, do tarot, da arte em geral. Adora viajar, conversar e procurar poesia nos acontecimentos cotidianos. Estudante de Artes Visuais e Letras e uma completa apaixonada pela arte de parar o tempo: fotografar.

0 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário